Mamãe, sou hipster!



Você já pensou em chegar para sua família e assumir que é Hipster? Já passou pela sua cabeça qual seria a reação deles? Na real, você sabe o que é uma pessoa desse grupo?

Esse é um grupo um tanto quanto confuso algo difícil de ser definido. Ser Hipster hoje em dia é algo não muito aceito. Não porque é uma ofensa, pelo contrário. Na verdade ser hipster para os hipsters se tornou muito mainstream ou no bom português muito comum.

Mas antes é bom entender quem é e, o que é ser Hipster. Na maioria das vezes a galera dessa cultura é proveniente de uma classe mais abastada financeiramente. Um grupo que tem acesso à cultura e à informação, os caras ficam antenados nas novidades e no cenário gringo para captar o que pode ser que vire ou não moda e o que pode ser usado e conhecido.

A principal marca de um Hipster é querer "trazer tendências", mas ao mesmo tempo ter um estilo próprio que resgata o passado em um mix interessante com o presente. Além disso tudo, a maioria se nega a usar ou ser do mainstream, se nega a ter que fazer parte de algo comum. Por isso não é raro ver um hipster deixar de usar algo porque a moda chegou no país, ou ainda um deles deixar de ser hipster porque ser hipster está na moda.

Para aguçar a sua curiosidade dê uma olhadinha nesse vídeo que o SNKR postou há algum tempo atrás. E lá embaixo confira um pouco da história de rodapé para entender melhor de onde esses caras vieram.




Quando pensamos na moda hipster surgem algumas peças marcantes, os óculos e algumas peças vintage. Além disso, muito mais comum no exterior, é o hábito de garimpar em grandes brechós para comprar roupas usadas com estilo único.

As suas roupas variam por um estilo marcante de cortes retos e secos, com ares vintage, juntando um pouco de couro, linhas justas e peças estampadas. Mas também podem juntar o estilo dos skatistas dos anos 70s ou o bom e velho xadrez do grunge que na verdade toma um leitura atualizada.

Veja alguns looks para você entender melhor.














Além disso temos outro ponto importante nesse cenário, a música, um indie mais pesado e independente, além do eletro rock. Mais uma vez, músicas diferentes para os ouvidos comuns, bandas que não fazem parte do meanstream mas que tem um som bacana e inovador.

Músicas como as da playlist especial que o SNKR Session montou para você:


SNKR Music #3 Hipster Songs by SNKR Session on Grooveshark

Depois de tudo isso... já dá para você entender um pouco melhor o que é ser hipster.
E ai? Você identificou com alguma coisa?
Você é hipster? Então grite: Mamãe, sou hipster!

-----
História de rodapé

O termo hipster começou a ser usado lá por 1940 durante a Era do jazz, e servia para descrever os fãs da tendência na época. Mais para a frente o termo começou a ficar famoso e na literatura foi usado também. Jack Kerouac disse em 1940 que os hipsters eram pessoas "subindo e vagabundeando pela América, vadiando e pegando carona em toda a parte, como elementos de uma espiritualidade especial. Outro escritor (Norma Mailer) disse que eles eram existencialistas americanos, vivendo uma vida cercada pela morte (aniquilada pela guerra atômica ou estrangulada pela conformidade social) e optanto, ao invés disso, por "divorciar-se da sociedade, para existir sem raízes, para partir em uma jornada não mapeada pelos imperativos rebeldes de seu próprio ser."


Hipsters são os amigos que zombam de você quando você começa a gostar de Coldplay. Eles são as pessoas que vestem camisetas de tela de seda com citações de filmes dos quais você nunca ouviu falar e são os únicos na América que ainda acham que Pabst Blue Ribbon é uma boa cerveja. Eles usam chapéus de cowboys e boinas e acham que Kanye West roubou seus óculos de sol. Tudo a respeito deles é construído exatamente de forma a fazer parecer que eles simplesmente não se importam (Time, julho de 2009).

Um artigo de revista Time de 2009 descreve hipsters da seguinte forma: "pegue o suéter de sua avó e os óculos Wayfares de Bob Dylan, e shorts jeans, tênis All Star Converse e uma lata de Pabst e pronto - Hipster."

Hoje, ‎o termo hipster descreve o indivíduo cujo próprio existir se afirma na busca por se ajustar ao presente esvaziado pelo fluxo incessante de atualizações de modelo que a internet proporciona, e que no processo acaba perdendo a própria noção de sujeito, virando mais um elemento na cadeia, um meme ambulante, um ser caricato em seu medo de descobrir que está "off", "offline", fora do loop, do círculo, arriscando-se, portanto, a se deixar ver como de fato é: apenas uma pessoa comum, como qualquer outra, de carne, pele, e ossos.

(fonte: wikipedia e hipsterhandbook)

sm

A sneaker freaker since 2008, he had the time and passion to create the SNKR 2008. Besides shoes he's a creative consultant passionate about art, design, music and culture.

Post a Comment